Novo

Esquadrões Halifax da Segunda Guerra Mundial, Jon Lake

Esquadrões Halifax da Segunda Guerra Mundial, Jon Lake


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Esquadrões Halifax da Segunda Guerra Mundial, Jon Lake

Esquadrões Halifax da Segunda Guerra Mundial Jon Lake

Este é um livro interessante, inclusivo e bem escrito sobre o Handley Page Halifax, a segunda aeronave do Comando de Bombardeiro mais importante da Segunda Guerra Mundial.

Lake começa com uma boa introdução à guerra de bombardeios e uma comparação entre o Halifax e o Avro Lancaster. Ele segue com dois capítulos sobre o papel do Halifax na principal ofensiva de bombardeiros e, em seguida, passa a examinar seus muitos outros papéis com os Desbravadores, SOE, Grupo No.100 realizando contra-medidas eletrônicas, como um rebocador de planador e com o Comando Costeiro. O que surge é a imagem de uma aeronave versátil e adequada para suas múltiplas funções.

O livro é bem ilustrado, com algumas fotos muito boas do Halifax e planos excelentes. Dois apêndices fornecem uma lista completa de unidades Halifax e uma série de ordens de batalha RAF dando instantâneos do que o Halifax estava fazendo em vários momentos importantes.,

Este livro será útil para qualquer pessoa interessada em Halifax ou na guerra aérea durante a Segunda Guerra Mundial. Dá uma boa ideia da ampla gama de tarefas que uma aeronave pode ser solicitada a realizar e como o Halifax foi adaptado a essas tarefas múltiplas.

Autor: Jon Lake
Edição: Brochura
Páginas: 112
Editora: Osprey
Ano: 1999



Handley Page Halifax

o Handley Page Halifax é um bombardeiro pesado quadrimotor da Força Aérea Real Britânica (RAF) da Segunda Guerra Mundial. Foi desenvolvido por Handley Page com as mesmas especificações do contemporâneo bimotor Avro Manchester.

Halifax
Handley Page Halifax B.III mostrando as últimas aletas retangulares e motores radiais Bristol Hercules
Função Bombardeiro pesado
origem nacional Reino Unido
Fabricante Handley Page
Primeiro voo 25 de outubro de 1939
Introdução 13 de novembro de 1940
Aposentado 1961 (Força Aérea do Paquistão)
Status Aposentado
Usuários primários força Aérea Real
Força Aérea Real Canadense
Força Aérea Real Australiana
Força Aérea Francesa Livre
Produzido 1940–1946
Número construído 6.176 [1] + 2 Protótipos HP.57

O Halifax tem suas origens no bimotor HP56 proposta do final dos anos 1930, produzida em resposta à Especificação P.13 / 36 do Ministério da Aeronáutica Britânica para um bombardeiro médio capaz para "uso mundial". O HP56 foi encomendado como reserva do Avro 679, ambas aeronaves sendo projetadas para usar o motor Rolls-Royce Vulture de baixo desempenho. O design da Handley Page foi alterado no Ministério para um arranjo de quatro motores movido pelo motor Rolls-Royce Merlin, o rival Avro 679 foi produzido como o Avro Manchester bimotor que, embora considerado malsucedido principalmente devido ao motor Vulture, foi um antecessor direto do famoso Avro Lancaster. Tanto o Lancaster quanto o Halifax emergiriam como bombardeiros estratégicos quadrimotores, milhares dos quais seriam construídos e operados pela RAF e várias outras forças durante a guerra.

Em 25 de outubro de 1939, o Halifax realizou seu vôo inaugural e entrou em serviço com a RAF em 13 de novembro de 1940. Rapidamente se tornou um componente importante do Comando de Bombardeiro, realizando missões de bombardeio estratégico de rotina contra as Potências do Eixo, muitas delas à noite. Arthur Harris, o oficial da Força Aérea Comandante-em-Chefe do Comando de Bombardeiros, descreveu o Halifax como inferior ao rival Lancaster (em parte devido à sua menor carga útil), embora essa opinião não fosse compartilhada por muitas das tripulações que o pilotaram, especialmente para a variante MkIII. [2] No entanto, a produção do Halifax continuou até abril de 1945. Durante seu serviço no Comando de Bombardeiros, Halifaxes realizou um total de 82.773 operações e lançou 224.207 toneladas de bombas, enquanto 1.833 aeronaves foram perdidas. O Halifax também voou em grande número por outras nações aliadas e da Commonwealth, como a Força Aérea Real Canadense (RCAF), a Força Aérea Real Australiana (RAAF), a Força Aérea Francesa Livre e as forças polonesas.

Várias versões aprimoradas do Halifax foram introduzidas, incorporando motores mais potentes, um layout de torre defensiva revisado e maior carga útil. Permaneceu em serviço no Comando de Bombardeiros até o final da guerra, desempenhando diversas funções além do bombardeio. Além disso, versões especializadas do Halifax foram desenvolvidas para o transporte de tropas e operações de pára-quedismo. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a RAF rapidamente retirou o Halifax de serviço, depois que o tipo foi sucedido no papel de bombardeio estratégico pelo Avro Lincoln, um derivado avançado do Lancaster. Durante os anos do pós-guerra, o Halifax foi operado pela Real Força Aérea Egípcia, pela Força Aérea Francesa e pela Força Aérea Real do Paquistão. O tipo também entrou em serviço comercial por vários anos, usado principalmente como cargueiro. Uma variante dedicada ao transporte civil, o Handley Page Halton, também foi desenvolvida e entrou no serviço aéreo. 41 cargueiros civis Halifax foram usados ​​durante o transporte aéreo de Berlim. Em 1961, os últimos bombardeiros Halifax restantes foram retirados do uso operacional.


Conteúdo

Esquadrões em Negrito estão atualmente ativos

Nº 1-50 Editar

  • No. 1 (caça) esquadrão RAF (Tufão FGR4) [2]
  • No. II (Cooperação do Exército) Esquadrão RAF (Tufão FGR4) [2]
  • No. 3 (caça) esquadrão RAF (Tufão FGR4) [2]
  • No. IV Esquadrão RAF (Hawk T2) [3]
  • No. 6 Esquadrão RAF (Tufão FGR4) [2]
  • No. 7 Squadron RAF (Chinook HC4) [4]
  • No. 8 Esquadrão RAF (Sentinela AEW1) [5]
  • No. IX (Bombardeiro) Esquadrão RAF (Tufão FGR4) [2]
  • No. 10 Esquadrão RAF (Voyager KC2 / KC3) [6]
  • No. XI (Fighter) Squadron RAF (Tufão FGR4) [2]
  • No. 12 (Bombardeiro) Esquadrão RAF (Tufão T3 e FGR4) [7]
  • No. 13 Esquadrão RAF (MQ-9A Reaper) [8]
  • No. 14 Esquadrão RAF (Shadow R1) [9]
  • No. 16 Esquadrão RAF (Tutor T1) [10]
  • Nº XVII Esquadrão de Teste e Avaliação RAF (F-35B LightningOEU) [11]
  • No. 18 (Bombardeiro) Esquadrão (Chinook HC2) [4]
  • No. 22 Squadron RAF (Comando Conjunto de HelicópteroOEU) [12]
  • No. 23 Squadron RAF[13]
  • No. XXIV (Commonwealth) Squadron RAF (Hercules C4 / 5, C-17 Globemaster & amp Atlas C1OCU) [14]
  • No. XXV (caça) esquadrão RAF (Hawk T2) [3]
  • No. 27 Squadron RAF (Chinook HC2) [4]
  • No. 28 Squadron RAF (Chinook HC4 / 6 e Puma HC2 OCU) [15]
  • No. 29 Squadron RAF (Typhoon T3 e FGR4 OCU) [2]
  • No. 32 (The Royal) Squadron RAF (BAe 146 e amp AW109) [16]
  • No. 33 Squadron RAF (Puma HC2) [17]
  • No. 39 Squadron RAF (MQ-9A Reaper) [8]
  • Nº 41 do Esquadrão de Teste e Avaliação (Tufão T3 e FGR4) [2]
  • No. 45 Squadron RAF (Phenom T1) [18]
  • No. 47 Squadron RAF (Hércules C4 / 5) [19]

Nº 51-66 Editar

  • No. 51 Squadron RAF (Junta de rebite RC-135W) [20]
  • No. 54 Squadron RAF (Sentinela / Sentinela / Junta de rebite / Reaper ISTAR OCU) [21]
  • No. 56 (Punjab) Esquadrão RAF (Teste Air C2ISR e Esquadrão de Avaliação de Amp) [22]
  • No. LVII Squadron RAF[23] (Prefeito T1) [24]
  • No. 60 Squadron RAF (Juno HT1) [25]

Nos. 67-71 Editar

Durante a Primeira Guerra Mundial, a fim de evitar confusão com esquadrões voadores britânicos com números semelhantes, as unidades do Australian Flying Corps eram conhecidas para fins administrativos como 67, 68, 69 e 71 esquadrões. Desde a Segunda Guerra Mundial, esses números sempre foram usados ​​pelas unidades da RAF.

No entanto, a designação 70 (ou LXX) Esquadrão sempre foi usada para unidades RFC / RAF.

  • No. 67 Squadron
    • 1916–18: No. 1 Esquadrão, Australian Flying Corps
    • De 1941: No. 67 Squadron RAF
    • 1916–18: No. 2 Squadron, Australian Flying Corps
    • De 1941: No. 68 Squadron RAF
    • 1916–18: No. 3 Squadron Australian Flying Corps
    • De 1941: No. 69 Squadron RAF
    • 1916–18: No. 4 Squadron Australian Flying Corps
    • De 1940: No. 71 Squadron RAF (com voluntários dos EUA em 1940-1942)

    Nº 72-100 Editar

    • No. 72 (Basutoland) Squadron RAF (Texan T1) [27]
    • No. 84 Squadron RAF (Griffin HAR2) [28]
    • Nº 92 (Leste da Índia) Esquadrão RAF Esquadrão de Táticas e Treinamento [29]
    • No. 99 (Presidência de Madras) Esquadrão RAF (C-17 Globemaster) [30]
    • No. 100 Squadron RAF (Hawk T1) [31]

    Nos. 101-150 Editar

    Nos. 151-200 Editar

    Nº 201-250 Editar

    Os primeiros esquadrões a transportar números acima de 200 foram antigos esquadrões RNAS que foram renumerados após a fusão com 200 adicionados ao seu número de esquadrão RNAS. Os voos independentes do RNAS foram agrupados em esquadrões e dados números nas 200 séries.

    Nº 251–299 Editar

    Os esquadrões da série 300–352 foram formados durante a Segunda Guerra Mundial por voluntários de países da Europa ocupada. Em alguns casos, esses esquadrões e pessoal da RAF foram considerados por um governo no exílio relevante como servindo simultaneamente com sua força aérea.

    Polonês (300–309) Editar

      (Ziemi Mazowieckiej) (Ziemi Pomorskiej) (Poznański) (Warszawski im. Tadeusza Kościuszki) (Ziemi Śląskiej im. Ks. Józefa Poniatowskiego) (Ziemi Wielkopolskiej im. Marszałka Józefa Piłsudskiego) (Toruński) (Lwowskich Puchaczy) (Krakowski) (Ziemi Czerwieńskiej)

    Checoslovaco (310-313) Editar

    (Nota: a RAF nunca teve uma unidade voadora chamada Esquadrão 314, embora tenha usado o número da Unidade de Serviços Técnicos nº 314. Um Esquadrão 314 proposto foi alocado com o código de esquadrão "UY" durante o período de abril a setembro de 1939, [38 ], mas nunca foi formado.)

    Polonês (315-318) Editar

    Nota: a RAF nunca teve um Esquadrão No. 319 - a "Equipe de Combate Polonesa" foi anexada ao No. 145 Fighter Squadron. Um esquadrão 319 proposto foi alocado com os códigos de esquadrão VE para o período de abril a setembro de 1939. [38] Houve também 663 o Esquadrão de Observação de Artilharia No. 138 do Esquadrão de Serviço Especial do Voo Polonês "C" e o Voo de Serviço Especial Polonês No. 1586.

    Holandês (320-325) Editar

    Nota: Nos. 323 a 325 Esquadrões não foram formados, mas alocados Códigos de Esquadrão GN, PQ e EA, respectivamente, para o período de abril a setembro de 1939. [38] No entanto, esses números foram usados ​​para os esquadrões da Força Aérea Real Holandesa do pós-guerra.

    Francês (326-329) Editar

    Norueguês (330-334) Editar

    Grego (335-339) Editar

    Nota: Nos: 337-339 nunca formados, [39] mas foram atribuídos os códigos de esquadrão OK, ML e KN, respectivamente, para o período de abril a setembro de 1939. [38] Segunda Guerra Mundial.

    Francês (340–347) Editar

    Nota: O Esquadrão No. 348 não foi formado, [40] mas as letras dos códigos de esquadrão FR foram alocadas para o período de abril a setembro de 1939. [38]

    Belga (349-350) Editar

    Iugoslavo (351-352) Editar

    Nota: Nos. 362–399 Esquadrões não foram formados. [41]

    De acordo com o Artigo XV do Plano de Treinamento Aéreo da Comunidade Britânica, as forças aéreas da Austrália, Canadá e Nova Zelândia formaram esquadrões para o serviço sob o controle operacional da RAF. A maioria eram formações novas, no entanto, algumas já existiam antes da criação do Artigo XV e já estavam operacionais durante a guerra, incluindo operações de combate.

    Força Aérea Real Canadense (400-443) Editar

      (Cidade de Toronto) (Carneiro) (Cidade de Winnipeg) (Lobo) (Búfalo) (Vancouver) (Lynx) (Demônio) (Ganso) (Falcão Noturno) (Puma) (Urso-pardo) (Falcão) (Tusker) (Sarnia Imperials ) (Espadarte) (Cidade de Oshawa) (Cidade de Windsor) (Cidade de Edmonton) (Alce) (Coruja das Neves) (Índio Vermelho) (Iate Voador) (Águia Careca) (Tigre) (Alouette) (Pássaro Trovão) (Leão) (Fantasma) (Bisão) (Cidade de Sudbury) (Iroquois) (Leaside) (Porco-espinho) (Bluenose) (Chinthe) (Elefante) (Husky) (Wildcat) (Westmount) (Cidade de Ottawa e Beaver) (Raposa de Prata) ( Caribou) (Hornet)

    Nota: Embora os esquadrões 444 a 449 também estivessem reservados para a RCAF, ela não os utilizou durante a Segunda Guerra Mundial.

    Real Força Aérea Australiana (450-467) Editar

    Nota: Embora os esquadrões 465 e 468 a 479 também tenham sido reservados para a RAAF durante a Segunda Guerra Mundial, ela não os utilizou.

    Força Aérea Real da Nova Zelândia (485-490) Editar

    Nota: Embora os esquadrões de número 491 a 499 tenham sido reservados para unidades da RNZAF durante a Segunda Guerra Mundial, nenhum desses esquadrões foi formado.

    Formados como esquadrões de "Reserva Especial", mas absorvidos pela Real Força Aérea Auxiliar

    Nota: No. 505, 506, 507, 508 e 509 esquadrões alocados códigos de esquadrão YF, FS, GX, DY e BQ respectivamente para o período de abril a setembro de 1939, mas nunca foram formados. [38]

    Nota: No No. 599 Squadron parece ter sido formado. [41] Deveria haver esquadrões da Reserva usando números 551–566 que teria sido criado adicionando 500 às designações de Unidade de Treinamento Operacional existentes. [42] No caso, o plano nunca foi colocado em prática, embora tenha havido algum uso indevido de alguns dos números por algumas das OTUs por um curto período. Apesar da falta de ativação formal, esse bloco de números nunca foi realocado para uso por outras unidades.

    No caso de uma invasão alemã, as unidades de treinamento operacional teriam sido reformadas nos esquadrões abaixo, de acordo com os planos como parte do Operação Sarraceno, formulado na primavera de 1940, que foi posteriormente revisado como Banquete de Operação. Alguns números de esquadrão de reserva foram usados ​​por seus respectivos OTU durante tarefas operacionais até pelo menos maio de 1944. [38]

      - Unidade de Desenvolvimento de Combate Aéreo (Banquete) - 51 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 51 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 53 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 53 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 55 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 56 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 57 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 58 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 59 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 56 Unidade de Treinamento Operacional (Banquete) - 61 Unidade de Treinamento Operacional (sarraceno e Banquete) - 57 Unidade de Treinamento Operacional (Banquete) - 58 Unidade de Treinamento Operacional (Banquete) - 59 Unidade de Treinamento Operacional (Banquete) - 61 Unidade de Treinamento Operacional (Banquete)
    • No. 600 (Cidade de Londres) Esquadrão
    • No. 601 (Condado de Londres) Esquadrão[43]
    • No. 602 (Cidade de Glasgow) Esquadrão
    • No. 603 (Cidade de Edimburgo) Esquadrão
    • No. 605 (Condado de Warwick) Esquadrão
    • No. 606 (Chiltern) Squadron
    • No. 607 (Condado de Durham) Esquadrão
    • No. 609 (West Riding) Squadron
    • No. 611 (West Lancashire) Squadron
    • No. 612 (Condado de Aberdeen) Esquadrão
    • No. 614 (Condado de Glamorgan) Esquadrão
    • No. 616 (South Yorkshire) Squadron[44]

    Nota: No. 606 Squadron RAF foi alocado para o Squadron codes BG para o período de abril a setembro de 1939, mas não foi formado. [38] Um Esquadrão de Apoio a Helicópteros No. 606 não voador da RAuxAF foi formado posteriormente em 1999. [45]

    Nota: Nos. 629, 632-634, 636-638, 641-643 e 645-649 nunca foram formados, [46] mas alguns foram alocados códigos de esquadrão para o período de abril a setembro de 1939-629 (LQ), 632 (LO ), 636 (VZ), 637 (UK), 638 (PZ), 641 (EV), 645 (KF), 646 (YG), 647 (ZS), 648 (YT) e 649 (HA). [38] No entanto, um "Esquadrão 633" fictício foi apresentado no romance e filme homônimo. Além disso, um esquadrão 641 fictício apresentado no filme "Esquadrão Mosquito". Além disso, os Esquadrões de Planamento Voluntário da RAF (anteriormente Escolas de Planamento Voluntário até 2005) foram numerados na faixa de 611 a 671 desde 1955.

    Esses esquadrões foram formados durante a Segunda Guerra Mundial para realizar funções de localização e ligação de artilharia, em cooperação com unidades do Exército. A maioria das tripulações do esquadrão AOP foram fornecidas pelo Exército. Nos. 661-664 e 666 Squadron foram reformados como unidades da Força Aérea Auxiliar Real em 1949. Nos. 651, 652 e 656 Squadron foram transferidos para o Army Air Corps em 1957. [47]

    Nota: Nos. 693-694 e 696-699 os esquadrões nunca foram formados. [46]

    Ainda sob o controle da RAF, os voos da Fleet Air Arm foram organizados em esquadrões com números na faixa de 700 a 800. O intervalo de 700 a 750 tinha sido usado anteriormente para números de voo Fleet Air Arm Catapult. [48]

    Esses esquadrões foram transferidos para a Royal Navy em 1939, tornando-se Naval Air Squadrons (NAS). [49] Os números de esquadrões de 700 e 800 continuaram a ser usados ​​pela Marinha Real para os recém-formados Esquadrões Aéreos Navais.

    As Estações de Depósito de Treinamento (TDS) ainda estavam em uso após a formação da RAF em 1918. [50]

    A maioria das Universidades no Reino Unido é, ou foi, representada por Esquadrões Aéreos Universitários, onde os graduandos podem experimentar a Royal Air Force e aprender a voar, bem como tirar proveito de programas de bolsas de estudo. Eles operam o Tutor T.1.

    Inicialmente formadas como Escolas de Planador Voluntário, esses esquadrões mantiveram seus números de escolas de planador quando reformados como esquadrões. Conflitos com os principais números do Esquadrão resolvidos pelo sufixo VGS. Esses esquadrões operam o Viking TX.1 planador.

      anteriormente 102 GS, anteriormente 104 GS, anteriormente 122 GS
  • 614 Esquadrão de Planador Voluntário anteriormente 142 GS, 146 GS e 147 GS - (MDPGA Wethersfield)
  • 615 Esquadrão de Planador Voluntário anteriormente 141 GS e 168 GS - (RAF Kenley) anteriormente 106 GS, anteriormente 146 GS e 168 GS
  • 621 Esquadrão de Planador Voluntário - (RAF Hullavington)
  • 622 Esquadrão de Planador Voluntário anteriormente 89 GS - (Trenchard Lines) anteriormente 84 GS anteriormente 83 GS
  • 626 Esquadrão de Planador Voluntário anteriormente 82 GS - (RNAS Predannack)
  • Esquadrão de planagem voluntário 631 anteriormente 186 GS - (RAF Woodvale)
  • 632 Esquadrão de Planador Voluntário anteriormente 45 GS - (RAF Ternhill) anteriormente 68 GS
  • Esquadrão de planagem voluntário 637 - (RAF Little Rissington) anteriormente 23 GS, anteriormente 107 EGS (fundido com 644 VGS)
  • 644 Esquadrão de Planador Voluntário anteriormente 29 EGS - (RAF Syerston)
  • Esquadrão de planagem voluntário 645 anteriormente 26 GS - (RAF Topcliffe)
  • 661 Esquadrão de Planador Voluntário anteriormente 1 EGS - (RAF Kirknewton) anteriormente 2 GS e 5 GS
  • A RAF mantém uma série de voos independentes, alguns em base permanente, outros em base ad-hoc, conforme necessário. Para obter uma lista completa, consulte Lista de voos independentes de aeronaves da Royal Air Force.

    • Voo do Memorial da Batalha da Grã-Bretanha - 6 x Spitfire (várias marcas), 2 x furacão, 1 x Lancaster, 1 x Dakota, 2 x Chipmunk - (RAF Coningsby)
    • 1310 Flight - 2 x Chinook HC.2s - (Montagem Agradável de RAF)
    • 1312 Flight - 1 x Voyager KC.2, 1 x Hercules C.3 - (RAF Mount Pleasant)
    • 1435 Flight - 4 x Typhoon FGR.4 - (montagem RAF agradável)

    Edição de voos da Air Experience

    Essas unidades são co-localizadas com unidades UAS (ou unidades regulares da Força Aérea) para reunir recursos e compartilhar aeronaves. Os voos de experiência aérea proporcionam experiência de voo aos cadetes da Força Aérea Real e a outros grupos de jovens voltados para o ar, como os Air Scouts e os cadetes do Girls Venture Corps.

    • No. 1 Air Experience Flight - (MOD St Athan) - UAS do País de Gales
    • Nº 2 Air Experience Flight - (RAF Boscombe Down) - Southampton UAS
    • No. 3 Air Experience Flight - (RAF Colerne) - Bristol UAS
    • No. 4 Air Experience Flight - (Aeroporto de Glasgow) - Glasgow e Strathclyde UAS
    • Nº 5 Air Experience Flight - (RAF Wittering) - Londres / Cambridge / East Midlands UAS
    • Nº 6 Air Experience Flight - (RAF Benson) - Oxford UAS
    • Nº 7 Air Experience Flight - (RAF Cranwell) - East Midlands UAS
    • Nº 8 Air Experience Flight - (RAF Cosford) - Birmingham UAS
    • No. 9 Air Experience Flight - (RAF Leeming) - Yorkshire UAS
    • Nº 10 Air Experience Flight - (RAF Woodvale) - Liverpool / Manchester UAS
    • No. 11 Air Experience Flight - (RAF Leeming) - UAS da Nortúmbria
    • Nº 12 Air Experience Flight - (RAF Leuchars) - Leste da Escócia UAS

    O RAF College Cranwell armazena alguns padrões para esquadrões dissolvidos que têm o potencial de serem reativados no futuro, preservando o patrimônio das unidades históricas. Uma vez que um Padrão de Esquadrão é "guardado" em um local de culto, após a dissolução do Esquadrão, esse Padrão não pode mais ser reativado. Muitas igrejas do Reino Unido têm padrões da RAF após um serviço de dissolução. No entanto, alguns esquadrões optam por estabelecer seus padrões no College Hall da RAF Cranwell, a casa espiritual da RAF, e podem ser reativados como esquadrões ativos no futuro. Esquadrões antigos dissolvidos que estabeleceram seus Padrões podem receber novos Padrões para reativá-los, mas isso é extremamente raro.

    Os padrões do esquadrão (e sua última aeronave operada) que estão em exibição na Rotunda do College Hall em ordem de antiguidade [51] são:

      Tornado GR.4 (a ser reformado como um esquadrão General Atomics Protector RG1) [52] Sentinel R1 [53] Tornado F.3 Tornado GR.4 Nimrod MR.2 Vulcan B.2 / K.2 Hawk T.1 Vulcan B .2
    • No. 58 Squadron RAF Regiment

    A Royal Air Force e o Royal Flying Corps sempre incluíram um certo número de esquadrões não numerados para cumprir tarefas especiais, experimentais ou pontuais.

    Editar Esquadrões de Comunicação

    Para permitir o transporte rápido de Oficiais da Aeronáutica, funcionários e outras pessoas importantes, muitas unidades e o Quartel-General operavam Seções, Vôos, Esquadrões ou Alas de comunicação.

    Esquadrões de Balão de Barragem da Força Aérea Auxiliar Editar

    A maioria das unidades da Royal Air Force são identificadas por caracteres alfabéticos (ou semelhantes), conhecidos como "código de esquadrão", que é pintado em todas as aeronaves pertencentes a essa unidade. Quando unidades individuais são atribuídas a um número excepcionalmente grande de aeronaves, vários códigos de esquadrão foram usados.

    Outras forças aéreas, especialmente aquelas de outros países da Comunidade Britânica, freqüentemente usam sistemas semelhantes de identificação. Durante a Segunda Guerra Mundial, quando unidades de outras forças aéreas foram anexadas à RAF - como os esquadrões do Artigo XV (também conhecidos como "esquadrões da série 400") - seus códigos de esquadrão foram frequentemente alterados, para evitar confusão com as unidades da RAF.

    Historicamente, os códigos geralmente eram duas letras do alfabeto, pintadas na fuselagem traseira, ao lado do roundel da RAF. Estes formavam um sufixo ou prefixo para o indicativo de chamada de cada aeronave (no outro lado do roundel), que normalmente era uma única letra (por exemplo, "G de George"). Em geral, quando uma aeronave é perdida ou retirada de uso, seu indicativo de chamada é aplicado à sua substituição ou a outra aeronave.


    [DOWNLOAD] [PDF] Halifax Squadrons of World War 2 (Osprey Combat Aircraft 14) .PDF

    GRATUITO Halifax Squadrons of World War 2 (Osprey Combat Aircraft 14) PDF EPUB MOBI.

    Halifax Squadrons of World War 2 (Osprey Combat Aircraft 14)

    Por Jon Lake

    Categoria: Livro
    Encadernação: Brochura
    Autor:
    Número de páginas:
    Ofertas totais:
    Avaliação: 4,5
    Total de revisões: 3

    Resultados Halifax Squadrons of World War 2 (Osprey Combat Aircraft 14)

    Handley Page Halifax Wikipedia

    O Handley Page Halifax foi um bombardeiro pesado de quatro motores RAF da Força Aérea Real do Segundo Mundo desenvolvido por Handley Page com as mesmas especificações do Avro Lancaster contemporâneo e do Short Stirling, todas as três aeronaves sendo bombardeiros pesados ​​de quatro motores. O Halifax tem suas origens no bimotor HP56 proposta do final dos anos 1930 produzida em resposta ao British Air

    História militar do Canadá durante a Segunda Guerra Mundial Wikipedia

    A história militar do Canadá durante a Segunda Guerra Mundial começa com a invasão alemã da Polônia em 1 de setembro de 1939. Embora as Forças Armadas canadenses estivessem eventualmente ativas em quase todos os teatros de guerra, a maioria dos combates se concentrou na Itália, noroeste da Europa e Atlântico Norte. a guerra, mais de 11 milhões de canadenses serviram no Exército canadense Royal Canadian Navy Royal

    História das Bermudas de 1939 à 2ª Guerra Mundial a 1951

    1939 Junho A construção da novíssima Royal Naval Air Station em Boaz, parte dos preparativos para a 2ª Guerra Mundial, o aumento da carga de trabalho no HMS Malabar causou problemas devido ao espaço limitado disponível

    antiguidade esgotada Livros e revistas de aviação de aviões

    Home Encomenda Mapa do Site Índice de Transporte Pesquise preciso de ajuda telefone 2065241606 durante nosso horário comercial ANTIQUES DE BELO DE GASOLINA Brinquedos Antigos Colecionáveis ​​presentes LIVROS DE AVIAÇÃO REVISTAS à venda siga-nos no Facebook

    Locais de aviação Joe Baugher

    Museu do Avião Museu Cheshire UK RAF Cosford Shropshire Museu de Operações Especiais e Aerotransportadas do Reino Unido Fayetteville NC Museu do Centro de Teste de Voo da Força Aérea

    Handley Page Halifax B MkIII Revell Nr 04670

    Besprechung Die Handley Página Halifax war der zweite viermotorige Bomber der bei der Royal Air Force während des zweiten Weltkriegs em Dienst gestellt wurde und das nur drei Monate nach der Short Stirling

    História da aviação das Bermudas e pioneiros

    1962 27 de outubro Uma aeronave de reconhecimento da USAF Boeing RB47H Stratojet operada pela 55ª SRW USAF da Forbes AFB, registro 536248 4501389, caiu na propriedade Astor Estate em Ferry Reach em St Georges Parish durante a decolagem da Kindley AFB Bermuda

    Revolta de Varsóvia simples Wikipedia em inglês, a gratuita

    A Revolta de Varsóvia polonês powstanie warszawskie foi um grande ataque da Segunda Guerra Mundial pelo Exército da Casa da Resistência polonesa Armia KrajowaA resistência queria libertar Varsóvia da Alemanha nazista. O ataque aconteceu ao mesmo tempo que o Exército Vermelho da União Soviética se aproximava do leste do cidade e as forças alemãs recuaram. No entanto, os soviéticos pararam de avançar

    Militaria Mart é um centro comercial e de recursos online

    A operação PERPETUAL ARGUS e o transporte de aeronaves ATHENE transportaram 62 furacões do Clyde em 111 23 em ARGUS e 39 em ATHENE escoltados pelo contratorpedeiro LAFOREY a Gibraltar chegando lá 811 tendo se juntado na rota por GURKHA ISAAC SWEERS LIGHTNING e ZULU


    ‘Pronto para ir’ - O que é?

    Basicamente, são livros que estão em nosso depósito no Reino Unido, que estão prontos para serem despachados com bastante rapidez (geralmente em um ou dois dias úteis!).

    O prazo de envio é considerado na estimativa de entrega que você vê nesta página.

    Não se esqueça que cada livro em nosso site está disponível com entrega gratuita em todo o mundo, sem gasto mínimo necessário.

    Usamos cookies para melhorar o desempenho do nosso site. Ao continuar a usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies e outros termos e condições relacionados ao uso de dados.


    10º AF BOMBER / FIGHTER / COMMANDO / UNIDADES DE LIAISON

    ÍNDICE
    10ª Força Aérea
    5320ª Ala de Defesa Aérea
    Força-Tarefa Aérea da Índia
    Grupo de Voluntários Americanos
    Força-Tarefa Aérea da China
    Comando Aéreo Oriental
    Força-Tarefa Aérea da Birmânia do Norte
    1st Air Commando Gp5º Quadrado de Caça (Comando)
    6º Quadrado de Caça (Comando)
    10º Destacamento de Resgate na Selva Aérea
    72nd Airdrome Sq
    164º Quadrado de Ligação (Comando)
    165th Liaison Sq (Comando)
    166th Liaison Sq (Comando)
    284º Dispensário Médico (Avn)
    285º Dispensário Médico (Avn)
    309º Airdrome Sq
    319º Quadrado de Transporte de Tropas (Comando)
    326º Airdrome Sq
    1º Gp de Ligação (Provisório)5º quadrado de ligação
    19ª Praça de Ligação
    71º quadrado de ligação
    115º quadrado de ligação
    2º Comando Aéreo Gp1st Fighter Sq, Comando
    2º Quadrado de Caça, Comando
    127th Liaison Sq
    155º Quadrado de Ligação
    156º Quadrado de Ligação
    236º Dispensário Médico (Avn)
    317th Troop Carrier Sq (Comando)
    327º Airdrome Sq
    328º Airdrome Sq
    340º Airdrome Sq
    342nd Airdrome Sq
    7º Gp de Bombardeio9º Quadrado de Bombardeio
    11º Quadrado de Bombardeio
    22º Quadrado de Bombardeio
    436º Quadrado de Bombardeio
    492º Quadrado de Bombardeio
    493d Quadrado de Bombardeio
    8º Gp de Reconhecimento Fotográfico2ª Unidade de Câmera de Combate
    Unidade Técnica de Foto 3D
    7ª Foto Técnica Quadrada
    9º Quadrado de Reconhecimento Fotográfico
    10ª Unidade de Câmera de Combate
    17ª AAF Photo Intelligence Det
    20º Quadrado de Reconhecimento Tático
    24º Quadrado de Mapeamento de Combate
    40º Quadrado de Reconhecimento Fotográfico
    958º Engenheiro Co (Avn) Topográfico
    12º Gp de Bombardeio81º Quadrado de Bombardeio
    82º Quadrado de Bombardeio
    83d Quadrado de Bombardeio
    434º Quadrado de Bombardeio
    33d Fighter Gp58º Quadrado de Caça
    59º Quadrado de Caça
    60º Quadrado de Caça
    51º lutador Gp16º Quadrado de Caça
    25º Quadrado de Caça
    26º Quadrado de Caça
    36º Quadrado de Controle de Caça
    51º Quadrado de Controle de Caça
    322º Quadrado de Controle de Caça
    449º Quadrado de Caça
    80º lutador Gp88º Quadrado de Caça
    89º Quadrado de Caça
    90º Quadrado de Caça
    459º Quadrado de Caça
    311º lutador Gp385º Quadrado de Caça
    528º Quadrado de Caça
    529º Quadrado de Caça
    530º Quadrado de Caça
    341º Gp de Bombardeio11º Quadrado de Bombardeio
    22º Quadrado de Bombardeio
    490º Quadrado de Bombardeio
    491º Bombardeio Quadrado
    OUTRAS UNIDADES:96º quadrado de controle de caça
    426th Night Fighter Sq
    427th Night Fighter Sq

    Linhagem: Estabelecido como 10 da Força Aérea em 4 de fevereiro de 1942. Ativado em 12 de fevereiro de 1942. Décima Força Aérea redesignada em 18 de setembro de 1942. Inativado em 6 de janeiro de 1946. Ativado em 24 de maio de 1946. Descontinuado e desativado em 1 de setembro de 1960. Ativado em 20 Janeiro de 1966. Organizado em 1 de abril de 1966. Inativado em 31 de dezembro de 1969. Décima Força Aérea reprojetada (Reserva) e ativada na Reserva em 8 de outubro de 1976. Décima Força Aérea reprojetada em 1 de dezembro de 1985.

    Atribuições: Comando de Combate da Força Aérea, 12 de fevereiro de 1942 Forças do Exército dos EUA no Teatro China-Birmânia-Índia, 5 de março de 1942 Forças Aéreas do Exército, Setor Índia-Birmânia, 21 de agosto de 1943 (anexado ao Comando Aéreo Oriental, 15 de dezembro de 1943-1 de junho de 1945 e mais anexado à Força Aérea Estratégica, Comando Aéreo Oriental, 15 de dezembro de 1943 a 20 de junho de 1944) Forças Aéreas do Exército, Teatro Índia-Burma, 27 de outubro de 1944 Forças Aéreas do Exército, Teatro China, 6 de julho de 1945 Forças Aéreas do Exército dos EUA, Teatro da China, 25 de agosto 1945 Forças de Serviço do Exército, Porto de Embarque de Seattle, 5-6 de janeiro de 1946. Comando de Defesa Aérea, 24 de maio de 1946 Comando Aéreo Continental, 1 de dezembro de 1948-1 de setembro de 1960. Comando de Defesa Aérea (mais tarde, Aeroespacial), 20 de janeiro de 1966-31 de dezembro 1969. Air Force Reserve (mais tarde, Air Force Reserve Command), 8 de outubro de 1976-.

    Componentes Principais

    Comandos: IX Área de Serviço Aéreo: 19 de março a 1 de julho de 1948. X Serviço da Força Aérea: 1 de fevereiro a 20 de agosto de 1943. Serviço da Força Aérea XXI: 19 de março a 1 de julho de 1948. Base Aérea Americana de Karachi: 13 de fevereiro a 20 de agosto de 1943.

    Divisões: 20 Aéreo: 1 de abril de 1966-31 de dezembro de 1967. 24 Aéreo: 19 de novembro a 1 de dezembro de 1969. 25 Aéreo: 15 de setembro a 1 ° de dezembro de 1969. 26 Aéreo: 19 de novembro a 1 ° de dezembro de 1969. 27 Aéreo: 15 de setembro a 19 de novembro de 1969 . 28 Aéreo: 1 de abril de 1966-19 de novembro de 1969. 29 Aéreo: 1 de abril de 1966-15 de setembro de 1969. 30 Aéreo: 16 de dezembro de 1949-1 de setembro de 1950 1 de abril de 1966-18 de setembro de 1968. 31 Aéreo: 1 de julho de 1968-31 de dezembro 1969. 73 Air: 1 Jul 1948-27 Jun 1949. 96 Air: 1 Jul 1948-27 Jun 1949. 322 Air: 1 Jul 1948-27 Jun 1949. 323 Air: 1 Jul 1948-27 Jun 1949.

    Distrito: 2 Reserva aérea: 1 de dezembro de 1951 a 1 de abril de 1954.

    Regiões: Quarta Reserva da Força Aérea: 1 ° de julho a 1 ° de setembro de 1960. Quinta Reserva da Força Aérea: 1 ° de julho a 1 ° de setembro de 1960.

    Grupos: 3d Combat Cargo: 1944-1945. 7th Bombardment: 1942-1945. 12º Bombardeamento: 1944-1945. 33d Fighter: 1944-1945. 80th Fighter: 1943-1945. 311th Fighter: 1943-1944. 341st Bombardment: 1942-1944. 443d Troop Carrier: 1944-1945.

    Estações: Patterson Field, OH, 12 de fevereiro a março de 1942 Nova Delhi, Índia, 5 de março de 1942 Barrackpore, Calcutá, Índia, 16 de outubro de 1943 Belvedere Palace, Calcutá, Índia, 8 de janeiro de 1944 Kanjikoah, Assam, Índia, 20 de junho de 1944 Myitkyina, Birmânia, 2 de novembro de 1944 Bhamo, Birmânia, 7 de fevereiro de 1945 Piardoba, Índia, 15 de maio de 1945 Kunming, China, 23 de julho de 1945 Liuchow, China, 9 de agosto de 1945 Kunming, China, 25 de agosto de 1945 Xangai, China, 18 de outubro-15 de dezembro de 1945 Fort Lawton , WA, 5-6 de janeiro de 1946. Brooks Field (posteriormente, AFB), TX, 24 de maio de 1946 Offutt AFB, NE, 1 de julho de 1948 Fort Benjamin Harrison (posteriormente, Benjamin Harrison AFB), IN, 25 de setembro de 1948 Selfridge AFB, MI , 16 de janeiro de 1950-1 de setembro de 1960. Richards-Gebaur AFB, MO, 1 de abril de 1966-31 de dezembro de 1969. Bergstrom AFB, TX, 8 de outubro de 1976 Carswell ARS, TX, 30 de junho de 1996-.

    Comandantes: Nenhum (não tripulado), 12-16 de fevereiro de 1942 Tenente-coronel Harry A. Halverson, 17 de fevereiro de 1942 Maj Gen Lewis H. Brereton, 5 de março de 1942 Brig Gen Earl L. Naiden, 26 de junho de 1942 Maj Gen Clayton I. Bissell, 18 de agosto 1942 Maj Gen Howard C. Davidson, 19 de agosto de 1943 Brig Gen Adiai H. Gilkeson, 14 de setembro de 1944 Maj Gen Howard C. Davidson, 11 de outubro de 1944 Maj Gen Albert F Hegenberger, 1 de agosto de 1945 desconhecido, novembro de 1945 a janeiro de 1946. Nenhum ( não tripulado), 24 de maio a 5 de junho de 1946 Coronel Edward N. Backus, 6 de junho de 1946 Maj Gen Howard M. Turner, 18 de junho de 1946 Brig Gen Harry A. Johnson, 6 de janeiro de 1948 Maj Gen Paul L. Williams. 1 de julho de 1948 Brig Gen Harry A. Johnson, 23 de maio de 1949 Major Gen Paul L. Williams, 18 de julho de 1949 Brig Gen Harry A. Johnson, 18 de novembro de 1949 Major Gen Paul L. Williams, 23 de dezembro de 1949 Brig Gen Harry A. Johnson, 4 de janeiro de 1950 Maj Gen Paul L. Williams, 6 de abril de 1950 Brig Gen Harry A. Johnson, 30 de abril de 1950 Coronel Cecil E. Henry, 1 de junho de 1950 Maj Gen Harry A. Johnson, 14 de junho de 1950 Maj Gen Grandison Gardner, 20 de janeiro de 1951 Major-General Harry A. Johnson, 1 de abril de 1951 Cel Bernard C. Rose, 1 de julho de 1953 Maj Gen Richard A. Grussendorf, 2 de julho de 1953 Cel Paul E. Todd, 1 de agosto de 1955 Maj Gen Robert EL Eaton. 15 de setembro de 1955 Col Downs E. Ingram, 19 de agosto de 1959 Maj Gen Harold R. Maddux, 24 de agosto de 1959-1 de setembro de 1960. Maj Gen Thomas K. McGehee, 1 de abril de 1966 Maj Gen William D. Greenfield, 27 de setembro de 1967-31 de dezembro 1969. Maj Gen Roy M. Marshall, 8 de outubro de 1976 Maj Gen John E. Taylor Jr, 15 de maio de 1978 Maj Gen James C. Wahleithner, 1 de maio de 1984 Maj Gen Roger P. Scheer, 4 de maio de 1985 Brig Gen William B. McDaniel, 1 de novembro de 1986 Brig Gen John J. Closner III, 6 de julho de 1987 Brig Gen Robert A. McIntosh, 5 de julho de 1989 Maj Gen David R. Smith, 1 de dezembro de 1990 Maj Gen John A. Bradley, fevereiro de 1998 Maj Gen David E. Tanzi, 4 de março de 2002 Major General Allan R. Poulin, 20 de janeiro de 2005 Maj Gen Richard C. Collins, 24 de dezembro de 2005 Brig Gen Thomas R. Coon, 3 de junho de 2007-.

    Operações: Ativado para operações aéreas no teatro China-Índia-Birmânia (CBI) comandou unidades táticas de março de 1942 a dezembro de 1943, depois serviu como quartel-general de bombardeio estratégico no CBI mais tarde, retomou o comando de unidades de caça táticas em junho de 1944 até agosto de 1945, when it conducted primarily air transport and troop carrier missions through the end of its operations in December 1945. Following WWII, initially conducted air defense operations and training beginning in the late 1940s, then later concentrated on air reserve training throughout the 1950s. Responsible for air defense and early warning forces based in the northern central and later southern central U.S. from 1966-1969. From 1976, exercised intermediate command over reserve component flying training, fighter, bomber, air refueling, rescue, space and special operations forces.

    Streamers de serviço: Nenhum.

    Flâmulas de campanha: World War II: Burma India-Burma Central Burma China Defensive China Offensive.

    Serpentinas expedicionárias das Forças Armadas: Nenhum.

    Decorations: Air Force Outstanding Unit Awards: 1 Jul 1984-30 Jun 1986 1 Jul 1993-30 Jun 1995 1 Oct 1995-30 Sep 1996 1 Oct 2004-30 Sep 2006.

    Emblema: On an ultramarine blue disc, a white shield in base, winged golden orange, the shield bearing the Arabic numeral "10" ultramarine blue, all below a white five pointed star charged with a red disc, encircled by a white annulet. Approved on 25 Jan 1944 revised on 13 Jan 1977.

    Lineage, Assignments, Stations, and Honors through 5 Sep 2008.

    Commanders and Operations through 5 Sep 2008.

    Supersedes statement prepared on 28 Mar 1977.

    Linhagem: Activated as 10th Air Force at Patterson Field, Ohio, 12 February 1942. Redesignated the Tenth Air Force, 18 September 1942. Inactivated at Seattle, Wash., 6 January 1946. Activated at Brooks Field, Tex., 24 May 1946.

    Commanding generals: Maj. Gen. Lewis H. Brereton (5 March 1942-25 June 1942) Brig. Gen. Earl L. Naiden (25 June 1942-18 August 1942) Maj. Gen. Clayton L. Bissell (18 August 1942-19 August 1943) Maj. Gen. Howard C. Davidson (19 August 1943-1 August 1945) Maj. Gen. Albert F. Hegenberger (1 August 1945-November 1945) Col. Edward N. Backus, (6-18 June 1946) Maj. Gen. Howard M. Turner (18 June 1946-1 January 1948) Brig. Gen. Harry A. Johnson (1 January 1948-1 July 1948) Maj. Gen. Paul L. Williams (1 July 1948-).

    Operational Notes (World War II): In the China-Burma-India Theater, the Tenth Air Force had, as its primary function, defense of the ferry route over the Hump. From the Kunming terminal, its China Air Task Force struck at enemy installations, port facilities, and shipping in the China Sea, while its India Air Task Force guarded the Dinjan end and insured neutralization of airfields at Myitkyina and other places in northern Burma. Although duties of the China Air Task Force were assumed by the Fourteenth Air Force in March 1943, the Tenth continued to operate from bases in Assam, disrupting enemy lines of communications, flying sweeps over the Bay of Bengal, and mining harbors at Rangoon, Bangkok, and Moulmein. Later, as components of the Eastern Air Command (15 December 1943-1 June 1945), Tenth Air Force units participated in all important phases of the Burma campaign, furnishing airborne support to General Wingate's forces, dropping supplies to Merrill's Marauders, and facilitating General Stilwell's reconquest of North Burma. By April 1945, some 350,000 men were wholly dependent upon air supply by these units. In August 1945, the Tenth moved to China, anticipating an offensive against Japan proper.

    Station: Ft. Benjamin Harrison, Ind. (Oct. 1948).

    "Army Air Forces in WWII" (7 volumes)
    Office of Air Force History
    Wesley Craven & James Cate, editors


    5320th Air Defense Wing

    Fonte: Ex-CBI Roundup, February 1957 issue

    American Air Command No. 1 redesignated 5320th Air Defense Wing redesignated Forward Echelon, 10th Air Force later incorporated into HQ, 10th AF.


    India Air Task Force

    Brigue. Gen. Clayton L. Bissell (10th AF) had made a careful survey of the staff of his air force, and he promptly appealed for additional personnel to replace officers reassigned to the Middle East. In preparation for operations at the close of the monsoon season, he decided to organize all combat units in India into an air task force comparable to the one then operating in China, and to designate Col. Caleb V. Haynes to command it. When the activation of the India Air Task Force (IATF) should be accomplished, the Tenth Air Force would consist of the CATF under Chennault, the IATF under Haynes, the X Air Service Command under Oliver, the India-China Ferry Command under Tate, and the Karachi American Air Base Command under Brig. Gen. Francis M. Brady.

    The IATF was activated at Dinjan, India to support Chinese resistance along the Salween River by hitting supply lines in C and S Burma the new task force, commanded by Colonel Caleb V Haynes, includes all AAF combat units in India, all based at Karachi-the 7th Bombardment Group (Heavy), the 51st Fighter Group, and the 341st Bombardment Group (Medium).

    On paper the IATF had nine squadrons, but not one was fully prepared for combat operations. Of the four heavy bombardment squadrons of the 7th Group, the 9th had not yet been returned from the Middle East, the 436th was just receiving its component of aircraft, and the other two, the 492d and 493d, were mere cadres. The recently activated 341st Bombardment Group (M) had only three squadrons in India, and two of them, the 490th and 491st, were without aircraft. The 22d Squadron was just receiving its planes and had not completed training. A detachment of the 26th Fighter Squadron had moved to Dinjan, but the other squadron of the 51st Fighter Group, the 25th, was in training at Karachi.

    By January 1943 headquarters of the IATF had been established at Barrackpore near Calcutta, and the following deployment of combat units was completed: the 25th and 26th Fighter Squadrons were at Sookerating and Dinjan, in Assam the 436th and 492d Bombardment Squadrons (H) were at Gaya the 9th and 493d Bombardment Squadrons (H) at Pandaveswar the 22d and 491st Bombardment Squadrons (M) at Chakulia and the 490th Bombardment Squadron (M) at Ondal. The newly activated squadrons, though not yet at full strength, were ready to participate in combat, and it appeared that for the first time the Tenth Air Force was in position to challenge Japanese air supremacy in Burma. Although deployment and training had advanced to a stage permitting combat operations, other fundamental problems had to be worked out before the IATF could hope to achieve success comparable to that of the CATF. The Tenth Air Force as a whole was a fairly well-balanced organization, with one heavy group, one medium group, and two fighter groups.


    American Volunteer Group (AVG)
    (forerunner to the China Air Task Force, July 1937 - July 1942)


    China Air Task Force (CATF)
    (forerunner to the 14th Air Force, July 1942 - March 1943)


    Eastern Air Command (EAC) (Ver Histórias de Unidade CBI)

    (15 December 1943-1 June 1945)

    In December 1943, the Japanese held almost all Burma and, standing poised on India's eastern frontier, threatened to swarm over Bengal's plains. To meet this crisis, the Supreme Allied Commander in the newly-formed South East Asia Command, Admiral Lord Louis Mountbatten, directed the integration of Allied air operations over Burma and formed Eastern Air Command, which was commanded by Lt. General (then Maj. Gen.) George E. Stratemeyer, and responsible to Air Chief Marshall Sir Richard Peirce, the Allied Air Commander-in-Chief. The Supreme Allied Commander originally specified two main objectives: (1) Protect the lines of communication between the supply base of India and the fighting Chinese front and (2) destroy the Japanese air force in Burma. Most of the available RAF and USAAF aircraft in the Theater were given to the General to execute his task.

    Thus was born Eastern Air Command, an integrated air force with flying crews and ground personnel from Britain, the United States, Canada, Australia, New Zealand, South Africa and India.


    1st Air Commando Group (Ver Histórias de Unidade CBI)


    16th Pursuit Gp

    16th Pursuit Gp

    1st ACG Association


    Hailakandi, India - 1944


    L-5B, 44-16816 of the 1st ACG -- Courtesy of Mr. Nick King


    Plaque located in Memorial Park
    National Museum of the United States Air Force

    General Henry H. (Hap) Arnold coined the term "Air Commando" in early 1944. This term referred to a group of Air Corps personnel established in India to support British long-range penetration forces in Burma. Its lineage began with the highly secret Project 9, the organizing and recruiting stages in the United States. Project 9 became the 5318th Provisional Group (Air) in India, which airlifted British General Orde Wingate's Special Forces into Burma during Operation THURSDAY in March 1944. Before the end of the month, it had changed, in name only, to the 1st Air Commando Group (1 ACG).

    Linhagem: Authorized on the inactive list as 16 Pursuit Group on 24 Mar 1923. Activated on 1 Dec 1932. Redesignated as: 16 Pursuit Group (Interceptor) on 6 Dec 1939 16 Fighter Group on 15 May 1942. Disestablished on 1 Nov 1943. Reestablished and consolidated (1 Oct 1993) with the 1 Special Operations Wing, which was established as 1 Air Commando Group on 9 Aug 1944, replacing the 1 Air Commando Group (a miscellaneous unit) that was constituted on 25 Mar 1944, activated on 29 Mar 1944, and consolidated on 9 Aug 1944 with the headquarters unit of the new establishment. Inactivated on 3 Nov 1945. Disestablished on 8 Oct 1948. Reestablished on 18 Apr 1962. Activated, and organized, on 27 Apr 1962. Redesignated as: 1 Air Commando Wing on 1 Jun 1963 1 Special Operations Wing on 8 Jul 1968 834 Tactical Composite Wing on 1 Jul 1974 1 Special Operations Wing on 1 Jul 1975 16 Special Operations Wing on 1 Oct 1993 1 Special Operations Wing on 16 Nov 2006.

    Atribuições: 3 Attack Wing, 1 Dec 1932 19 Composite (later, 19) Wing, 15 Jun 1933 12 Pursuit Wing, 20 Nov 1940 XXVI Interceptor (later, XXVI Fighter) Command, 6 Mar 1942-1 Nov 1943. Army Air Forces India-Burma Sector, 29 Mar 1944 (original unit assigned to 9 Aug 1944, establishment assigned thereafter) Tenth Air Force, 10 Jul 1945 Army Service Forces, 6 Oct-3 Nov 1945. USAF Special Air Warfare Center (later, USAF Special Operations Force), 27 Apr 1962 Tactical Air Command, 1 Jul 1974 Ninth Air Force, 1 Jul 1976 Tactical Air Command, 26 Sep 1980 Ninth Air Force, 1 Aug 1981 2 Air Division, 1 Mar 1983 Twenty Third Air Force (later, Air Force Special Operations Command), 1 Feb 1987-.

    Group: 1 Special Operations (later, 16 Operations 1 Special Operations): 22 Sep 1992-. 549 Tactical Air Support Training: 15 Dec 1975-1 Jan 1977. 930 Tactical Airlift (later, 930 Air Commando 930 Special Operations): 1 Jun 1968-18 Jun 1969.

    Squadron: 5 Fighter, Commando (later, 605 Air Commando): 1 Sep 1944-3 Nov 1945 15 Nov 1963-1 Jul 1964 (detached 15 Nov 1963-1 Jul 1964). 6 Fighter, Commando (later, 6 Air Commando 6 Special Operations Training): 30 Sep 1944-3 Nov 1945 27 Apr 1962-29 Feb 1968 31 Jul 1973-1 Jan 1974. 8 Special Operations: 1 Mar 1974-22 Sep 1992. 9 Special Operations: 18 Apr 1989-22 Sep 1992. 16 Special Operations: 12 Dec 1975-22 Sep 1992. 18 Special Operations: 25 Jan-15 Jul 1969. 20 Special Operations: 1 Jan 1976-22 Sep 1992. 24 Pursuit (later 16 Fighter): 1 Dec 1932-1 Nov 1943. 25 Special Operations (later, 25 Special Operations Squadron [Reconnaissance Support]: 31 Aug 1970-30 Sep 1974. 29 Pursuit (later, 29 Fighter): 1 Oct 1933-1 Nov 1943. 43 Pursuit (Interceptor) (later, 43 Fighter): 1 Feb 1940-1 Nov 1943. 44 Observation (later, 44 Reconnaissance): attached c. Dec 1932-31 Aug 1937, assigned 1 Sep 1937-31 Jan 1940, attached 1 Feb-20 Nov 1940. 55 Special Operations: 18 Apr 1989-22 Sep 1992. 71 Tactical Airlift (later, 71 Air Commando 71 Special Operations): 1 Jun-16 Dec 1968. 74 Pursuit (later, 74 Attack 74 Bombardment): 1 Oct 1933-1 Feb 1940. 78 Pursuit: 1 Dec 1932-1 Sep 1937. 164 Liaison: 1 Sep 1944-3 Nov 1945. 165 Liaison: 1 Sep 1944-3 Nov 1945. 166 Liaison: 1 Sep 1944-3 Nov 1945. 310 Attack: 15 May-15 Jul 1969. 311 Attack: 15 May-15 Jul 1969. 317 Air Commando (later, 317 Special Operations): 1 Jul 1964-15 Jul 1969 15 Apr 1970-30 Apr 1974. 318 Special Operations: 15 Nov 1971-1 Jun 1974. 319 Troop Carrier, Commando (later, 319 Air Commando 319 Special Operations): 1 Sep 1944-2 Sep 1945 27 Apr 1962-15 Jul 1969 30 Jul 1969-15 Jan 1972. 360 Tactical Electronic Warfare: 1-31 Jul 1973. 415 Special Operations Training: 19 Jul 1971-30 Jun 1975. 424 Special Operations (later, 424 Tactical Air Support) Training: 1 Jul 1970-1 Jan 1972. 547 Special Operations (later, 547 Tactical Air Support) Training: 15 Oct 1969-30 Apr 1975. 549 Tactical Air Support Training: 15 Oct 1969-15 Dec 1975. 602 Fighter, Commando: 1 May 1963-1 Oct 1964. 603 Fighter, Commando (later, 603 Air Commando 603 Special Operations 603 Special Operations Training): 1 Jul 1963-15 May 1971 1 Jul 1973-1 Jul 1974. 604 Fighter, Commando: 1 Jul 1963-8 Nov 1964. 775 Troop Carrier: 15 Apr-1 Jul 1964. 4406 Combat Crew Training: 1 Oct 1968-15 Jul 1969. 4407 Combat Crew Training: 15 Jul 1969-30 Apr 1973. 4408 Combat Crew Training: 15 Jul-22 Sep 1969. 4409 Combat Crew Training: 15 Jul-15 Oct 1969. 4410 Combat Crew Training: 27 Apr 1962-1 Dec 1965 15 Jul-15 Oct 1969. 4412 Combat Crew Training: 25 Oct 1967-15 Jul 1969. 4413 Combat Crew Training: 1 Mar 1968-15 Jul 1969. 4473 Combat Crew Training: 8 Aug 1969-1 Jul 1970. 4532 Combat Crew Training: 25 Oct 1967-15 Jul 1969.

    Flight: 7 Special Operations: 1 Jul 1969-31 May 1972.

    Estações: Albrook Field, CZ, 1 Dec 1932-1 Nov 1943. Hailakandi, India, 29 Mar 1944 (original unit) Asansol, India, 20 May 1944-6 Oct 1945 (original unit to 9 Aug 1944, establishment thereafter) Camp Kilmer, NJ, 1-3 Nov 1945. Eglin Air Force Auxiliary Field No. 9 (Hurlburt Field), FL, 27 Apr 1962 England AFB, LA, 15 Jan 1966 Eglin Air Force Auxiliary Field No. 9 (Hurlburt Field), FL, 15 Jul 1969-.

    Commanders: Unkn, 1932-1933 Maj Robert L. Walsh, c. 2 Sep 1933-c. 14 Aug 1935 Lt Col Willis H. Hale, Sep 1938-8 Aug 1939 Maj Arthur L. Bump, c. 1939-c. Feb 1941 Capt Roger J. Browne, 24 Feb 1941 Lt Col Otto P. Weyland, 20 May 1941 Maj John A. H. Miller, 1 Mar 1942 Lt Col Philip B. Klein, 10 Apr 1942 Lt Col Hiette S. William Jr., Sep 1942 Maj James K. Johnson, 1943 Maj Edwin Bishop Jr., 25 Sep 1943-unkn. Col Philip G. Cochran, 29 Mar 1944 (original unit) Col Clinton B. Gaty, 20 May 1944 (original unit to 9 Aug 1944 establishment thereafter) Col Robert W. Hall, c. 7 Apr 1945-unkn. Lt Col Miles M. Doyle, 27 Apr 1962 Col Chester A. Jack, 29 Apr 1962 Col Gerald R. Dix, 19 Mar 1963 Col Harry C. Aderholt, 28 Mar 1964 Col Gordon F. Bradburn, 10 Jul 1964 Col Hugh G. Fly Jr., 1 Dec 1965 Col Alpheus W. Blizzard Jr., 3 Apr 1967 Col Albert S. Pouloit, 9 Sep 1967 Col Leonard Volet, 14 Feb 1969 Col Robert W. Gates, 15 Jul 1969 Col Michael C. Horgan, 31 Oct 1970 Col James H. Montrose, 1 Apr 1973 Brig Gen William J. Holton, 11 Jan 1974 Col Edward Levell Jr., 1 Jul 1976 Col Richard H. Dunwoody, 29 Jul 1977 Col Theodore W. Stuart, 13 Mar 1980 Col Hugh L. Cox III, 26 Feb 1982 Col Hugh L. Hunter, 1 Mar 1983 Col Leonard A. Butler, 12 Jul 1985 Col Hanson L. Scott, 28 Aug 1986 Col Dale E. Stovall, 13 Jul 1987 Col George A. Gray III, 21 Jun 1989 Col Gary C. Vycital, c. 29 Aug 1990 (temporary) Col George A. Gray III, c. 24 Nov 1990 Col Gary C. Vycital, c. 24 Dec 1990 (temporary) Col George A. Gray III, 13 Mar 1991 Col Charles R. Holland, 20 Jun 1991 Brig Gen Maxwell C. Bailey, 7 Jun 1993 Brig Gen Norton A. Schwartz, 2 Jun 1995 Col Richard L. Comer, 16 May 1997 Col Donald C. Wurster 12 Jun 1998 Col David J. Scott, 29 Jul 1999 Col Lyle M. Koenig, 29 Jun 2001 Col Frank J. Kisner, 28 Jun 2002 Col Otis G. Mannon, 24 Oct 2003 Col Norman J. Brozenick Jr., 7 Jul 2005 Col Marshall B. Webb, 3 Jul 2007 Col Gregory J. Lengyel, 20 Nov 2008 Col Michael T. Plehn, 7 Jun 2010 Col James C. Slife, 29 Jun 2011 Col William P. West, 3 Jul 2013-.

    Aeronave: P-12, 1932-1943 OA-3 1933-1937 B-6, 1933-1937 OA-9, 1937-1940 Y-10, 1937-1940 A-17, 1937-1940 P-26, 1938-1941 P-36, 1939-1942 P-39, 1941-1943 P-40, 1941-1943. B-25, 1944 P-47, 1944-1945 P-51, 1944, 1945 UC-64, 1944-1945 L-1, 1944 L-5, 1944-1945 C-47, 1944-1945 YR-4, 1944-1945 CG-4 (glider), 1944-1945 TG-5 (glider), 1944-1945. C-46, 1962-1964 C/TC/VC-47, 1962-1970, 1973-1975 B/RB-26, 1962-1966 T/AT-28, 1962-1973 L-28 (later, U-10), 1962-1973 C/UC-123, 1963-1973 A-1, 1963-1966, 1969-1972 YAT-28, 1964-1965 YAT-37, 1964 O-1, 1964-1967, 1969-1971 AC-47, 1965, 1967-1969 U-3, 1966-1967 U-6, 1966-1967 UH-1, 1966, 1969-1974, 1976-1985 1997-2012 A/RA-26, 1966-1969 A-37, 1967-1969, 1969-1971, 1973-1974 EC/HC-47, 1967-1969, 1973 AC-123, 1967 C/MC-130, 1968- AC-130, 1968, 1971- EC-130, 1969 C/AC-119, 1968-1969, 1971-1972 O-2, 1969-1976 OV-10, 1969-1976 YQU-22 (drone), 1969-1970 QU-22 (drone), 1970-1971 CH-3, 1973-1974, 1976-1980 MH-53, 1980-2008 MH-60, 1989-1999 HC-130, 1989-1995 MQ-1, 2005-2007 CV-22, 2006- U-28, 2005-. In addition to the primary aircraft listed above, also flew T-29, 1969-1973 VT-29, 1969-1975 T-33, 1969-1975 T-39, 1969-1975 C-131, 1970-1973 and VC-131, 1973-1975.

    Operations: Provided fighter defense of Panama Canal operations, Dec 1932-Oct 1943. Replaced the 5318 Provisional Air Unit in India in Mar 1944. As a miscellaneous unit, the group was comprised until Sep 1944 of operational sections (rather than units): bomber fighter light-plane (and helicopter) transport glider and light-cargo. The group provided fighter cover, bomb striking power, and air transport services for Wingate's Raiders, fighting behind enemy lines in Burma. Operations included airdrop and landing of troops, food, and equipment evacuation of casualties and attacks against enemy airfields and lines of communication. Converted from P-51 to P-47 fighters and eliminated its B-25 bomber section in May 1944. In Sep 1944, after the original unit was consolidated with the headquarters component of the new establishment (also called 1 Air Commando Group) the sections were replaced by a troop carrier, two fighter, and three liaison squadrons. The group continued performing supply, evacuation, and liaison services for allied forces in Burma until the end of the war, including the movement of Chinese troops from Burma to China in Dec 1944. It also attacked bridges, railroads, airfields, barges, oil wells, and troop positions in Burma and escorted bombers to Burmese targets, including Rangoon. Switched back to P-51s in May 1945. Left Burma in Oct and inactivated in NJ in Nov 1945. Replaced the 4400 Combat Crew Training Group in Apr 1962 and assumed air commando operations and training responsibility. Trained USAF and South Vietnamese Air Force aircrews in the United States and South Vietnam in unconventional warfare, counterinsurgency, psychological warfare, and civic actions throughout the Southeast Asian conflict. Between 11 Jan and 30 Jun 1974, the USAF Special Operations Force and 1 Special Operations Wing merged their operations, and on 1 Jul 1974, the wing assumed responsibility for operating the USAF Air Ground Operations School, which trained personnel in concepts, doctrine, tactics, and procedures of joint and combined operations until 1 Feb 1978, and the USAF Special Operations School, which trained selected American and allied personnel in special operations, until Mar 1983. Elements of the wing participated in the attempt in Apr 1980 to rescue US hostages held in Tehran, Iran. Thereafter, continued to work closely with multi-service special operations forces to develop combat tactics for numerous types of aircraft and conduct combat crew training for USAF and foreign aircrews. Conducted numerous disaster relief search and rescue medical evacuation and humanitarian support missions. Supported drug interdiction efforts in a coordinated program involving multiple US and foreign agencies, 1983-1985. Conducted airdrop and airlift of troops and equipment psychological operations, close air support, reconnaissance, search and rescue, and attacks against enemy airfields and lines of communications in support of the rescue of US nationals in Grenada, Oct-Nov 1983, and the restoration of democracy in Panama, Dec 1989-Jan 1990. Beginning Aug 1990, deployed personnel and equipment to Saudi Arabia. These forces carried out combat search and rescue, unconventional warfare, and direct strike missions during the conflict, including suppression of Iraqi forces during the Battle of Khafji, Jan 1991. Deployed personnel and equipment worldwide, performing combat search and rescue, and supporting contingencies, humanitarian relief, and exercises that included Bosnia-Herzegovina, Iraq, Kuwait, and Central America. Elements of the wing deployed to participate in Operation Provide Comfort in Iraq, 1991-1996 and Deny Flight, Bosnia-Herzegovina, 1993-1995. It supported Operation Deliberate Force/Joint Endeavor, Aug-Sep 1995 and 14-20 Dec 1996, flying combat missions and attacking targets critical to Bosnian-Serb Army operations. Wing elements participated in Operations Northern and Southern Watch in 1997 and again participated in combat operations in Desert Thunder, Feb-Ju

    Streamers de serviço: Teatro Americano da Segunda Guerra Mundial.

    Flâmulas de campanha: World War II: India-Burma Central Burma. Southwest Asia: Defense of Saudi Arabia Liberation and Defense of Kuwait.

    Serpentinas expedicionárias das Forças Armadas: Grenada, 1983 Panama, 1989-1990.

    Decorations: Distinguished Unit Citation: Burma and India, [Mar]-20 May 1944. Air Force Outstanding Unit Awards with Combat "V" Device: 1 May 1982-30 Apr 1984 1 Jun 1997-31 May 1999 1 Jul 2003-30 Jun 2005 1 Jul 2005-30 Jun 2007. Meritorious Unit Awards: 1 Jul 2007-30 Jun 2009 1 Oct 2009-30 Sep 2011. Air Force Outstanding Unit Awards: Jul 1963-Jun 1965 1 Jul 1969-15 Apr 1971 1 Jan 1976-31 Mar 1977 15 Jul 1979-15 May 1980 16 May 1980-30 Apr 1982 1 May 1985-30 Apr 1987 1 May 1988-30 Apr 1990 16 Apr 1992-15 Apr 1994 1 Jun 1995-31 May 1997 1 Jul 1999-30 Jun 2001 1 Jul 2001-30 Jun 2003.

    Emblem (16th Pursuit Gp): Four lightning bolts, representing the four assigned squadrons, depict destruction from the sky. Approved in 1934.

    Emblem (WWII): (Design taken from the National Standard of the Chindits Old Comrades Association). On a blue field a Burmese Temple Lion and Pagoda, all gold resting on the Morse Code dot, dot, dot, dash. overall a label: NO. 1 AIR COMMANDOS.

    Emblem (Current): Per fess Azure and paly of 13 Gules and Argent, in pale a sword point to base light blue, winged fesswise in chief of the like, the blade surmounted in base by a lamp or enflamed of the third and fourth, all within a diminished bordure of the fifth. Motto: ANY TIME, ANY PLACE. Approved on 6 Jun 1963 (K-14253) replaced emblem approved on 4 Dec 1934 (K-2804). (On 1 October 1993, the 1st Special Operations Wing was redesignated the 16th Special Operations Wing. The unit retained the same emblem.)

    Emblem Significance: The emblem of the 1st Special Operations Wing symbolizes its 63-year mission and emphasizes that the wing is the single focal point for all Air Force special operations matters.

    The shield reflects its historic past as the first organization to field limited and unconventional warfare. It was approved for the reconstituted 1st Air Commando Group on June 6, 1943.

    The background is national colors with the blue representing the sky and the Air Force. The 13 red and white stripes represent the 13 original colonies, the first American force to engage in limited war. The stripes also are reminiscent of the red and white diagonal markings on some 1st Air Commando Group aircraft, an ancestor of the 1st SOW.

    The silver dagger represents the air commando, and the dagger is winged to indicate that commandos come from the air. A golden lamp of knowledge reflects the wing's civic action role and indicates that wing members serve as teachers, as well as warriors, in assisting U.S. allies determine their own way of life and form of government.

    The motto, "Any Time, Any Place," emphasizes the 1st SOW is prepared to accomplish its mission whenever or wherever it is called upon to do so. (Source: 1st SOW Fact Sheet, January 2007)

    Lineage, Assignments, Components, Stations, and Honors through 20 Sep 2013.

    Commanders, Aircraft, and Operations through 20 Sep 2013.


    1st ACG Bomber Section


    1st ACG L-5 Pilots


    Baixe Agora!

    Nós facilitamos para você encontrar um PDF Ebooks sem qualquer escavação. And by having access to our ebooks online or by storing it on your computer, you have convenient answers with Halifax Squadrons Of World War 2 Osprey Combat Aircraft 14 . To get started finding Halifax Squadrons Of World War 2 Osprey Combat Aircraft 14 , you are right to find our website which has a comprehensive collection of manuals listed.
    Nossa biblioteca é a maior delas, com literalmente centenas de milhares de produtos diferentes representados.

    Finally I get this ebook, thanks for all these Halifax Squadrons Of World War 2 Osprey Combat Aircraft 14 I can get now!

    Eu não pensei que isso iria funcionar, meu melhor amigo me mostrou este site, e funciona! Eu recebo meu e-book mais procurado

    wtf este ótimo ebook de graça ?!

    Meus amigos estão tão bravos que não sabem como eu tenho todos os e-books de alta qualidade, o que eles não sabem!

    É muito fácil obter e-books de qualidade)

    tantos sites falsos. este é o primeiro que funcionou! Muito Obrigado

    wtffff eu não entendo isso!

    Basta selecionar seu clique e, em seguida, o botão de download e preencher uma oferta para iniciar o download do e-book. Se houver uma pesquisa que leve apenas 5 minutos, tente qualquer pesquisa que funcione para você.


    [3] ELECTRONIC WARFARE & COASTAL COMMAND HALIFAXES

    * At its peak, the Halifax equipped 34 RAF Bomber Command squadrons in Europe, plus four in the Middle East, along with more squadrons in the Far East, which were built up after the surrender of Germany for the final assault on the Japanese.

    The Halifax was overshadowed by the Lancaster as a bomber, but the capacious fuselage of the Halifax made it suitable for other duties -- though the fact that Bomber Command couldn't get Lancasters fast enough for bombing operations also factored into the preference for using the Halifax in alternate roles. One such alternate role was electronic warfare, with a number of conversions of B.Mk III machines to such "bomber support (BS)" configurations. They generally looked much like the bomber configuration, other than sporting a litter of additional antennas. There were various configurations, featuring such kit as:

      Electronic intelligence (ELINT) receivers to locate and characterize radio emitters.

    Configurations were generally optimized for ELINT, radar jamming, or communications channel jamming, though the electronic equipment fits tended to be variable.


    * RAF's Coastal Command was a user of the Halifax as well, operating conversions of various Halifax bomber variants:

      A small number of B.Mk II Series I machines was converted to the "GR.Mk II Series 1" configuration with Air-to-Surface Vessel (ASV) Mark III radar in an H2S-style belly fairing and a Tempsford nose, often fitted with a 12.7-millimeter Browning machine gun to help suppress anti-aircraft fire from U-boats. They retained the upper turret. They usually carried depth charges, as well as flares for night combat, and were apparently fitted with bombbay fuel tanks to increase patrol range and endurance. Of course, some B.Mk V machines were also converted, to "GR.Mk V" configuration.

    Halifaxes were converted to serve in the weather reconnaissance role for both Bomber Command and Coastal Command, with conversions including the "Met.Mk V", "Met.Mk III", and "Met.Mk VI". The meteorological Halifaxes were fitted with weather instrumentation and an associated operator's station. These aircraft generally retained full armament, since they ranged widely alone and sometimes over hostile territory. From midwar, the GR and Met Halifaxes were painted dark sea gray on top, white on the bottom.


    Περίληψη

    The second of Britain's four-engined bombers to enter frontline service during World War II (1939-1945), Handley Page's Halifax has forever lived in the shadow of Avro's superb Lancaster. However, it was a Halifax which became the first RAF 'heavy' to drop bombs on Germany when No 35 Sqn raided Hamburg on the night of 12/13 March 1941. Between 1941-45, the Halifax completed some 75,532 sorties [compared with the Lancaster's 156,000] with Bomber Command alone, not to mention its sterling work as both a glider tug and paratroop carrier with the Airborne Forces, maritime patrol mount with Coastal Command and covert intruder with the SOE.


    Popup comentários

    Promoção válida das 00:00 do dia 28-05-2021 às 24:00 do dia 31-12-2021

    Saiba mais sobre preços e promoções consultando as nossas condições gerais de venda.

    Instalar a APP versão IOS 11+

    Instalar a APP versão Android 5+

    Este eBook está encriptado com DRM (Digital rights management) da Adobe e é aberto na aplicação de leitura Adobe Digital Editions (ADE) ou em outras aplicações compatíveis.
    Após a compra, o eBook é de imediato disponibilizado na sua área de cliente para efetuar o download.

    Para ler este eBook num computador instale a aplicação Adobe Digital Editions.

    Instalar a versão para PC

    Instalar a versão para MAC

    Instalar a versão para IOS

    Instalar a versão para Android

    Este valor corresponde ao preço de venda em wook.pt, o qual já inclui qualquer promoção em vigor.

    Saiba mais sobre preços e promoções consultando as nossas condições gerais de venda.

    Este valor corresponde ao preço fixado pelo editor ou importador

    Saiba mais sobre preços e promoções consultando as nossas condições gerais de venda.

    Oferta de portes: válida para entregas Standard e em Pontos de Recolha, em Portugal Continental, em encomendas de valor igual ou superior a 15€. Para encomendas de valor inferior a 15€, o valor dos portes é devolvido em cartão Wookmais. Os serviços extra como a entrega ao sábado e Janela Horária têm um custo adicional não gratuito.

    Oferta de Portes válida para entregas nos Açores e Madeira, em todas as encomendas enviadas por Entrega Standard. Ofertas de portes válidas para encomendas até 10 kg.

    Promoção válida para encomendas de livros não escolares registadas até 31/12/2021. Descontos ou vantagens não acumuláveis com outras promoções.

    QUANDO VOU RECEBER A MINHA ENCOMENDA?
    O envio da sua encomenda depende da disponibilidade do(s) artigo(s) encomendado(s).

    Para saber o prazo que levará a receber a sua encomenda, tenha em consideração:
    » a disponibilidade mais elevada do(s) artigo(s) que está a encomendar
    » o prazo de entrega definido para o tipo de envio escolhido, e
    » a possibilidade de atrasos provocados por greves, tumultos e outros fatores fora do controle das empresas de transporte.

    EM STOCK
    Sendo a sua encomenda constituída apenas por produtos EM STOCK*, irá recebê-la no dia útil seguinte ao da encomenda, caso a confirmação do seu pagamento nos seja comunicada até às 18h00 de um dia útil e, no checkout, opte por selecionar o método de envio, pago, CTT EXPRESSO – 24H. Optando por outro método de envio, gratuito, a sua encomenda poderá ser-lhe entregue até dois dias úteis após a receção da confirmação do seu pagamento, se a mesma se verificar num dia útil.

    * esta disponibilidade apenas é garantida para uma unidade de cada produto e sempre sujeita ao stock existente no momento em que a confirmação do pagamento nos for comunicada.

    ENVIO ATÉ X DIAS
    Esta disponibilidade indica que o produto não se encontra em stock e que demorará x dias úteis a chegar do fornecedor. Estes produtos, especialmente as edições mais antigas, estão sujeitos à confirmação de preço e disponibilidade de stock no fornecedor.

    PRÉ-LANÇAMENTO
    Os produtos com esta disponibilidade têm entrega prevista a partir da data de lançamento.

    DISPONIBILIDADE IMEDIATA
    Tipo de disponibilidade associada a artigos digitais (tais como eBooks e cheques-prenda digitais), que são disponibilizados de imediato, após o pagamento da encomenda. No caso dos eBooks, a disponibilização ocorre na sua biblioteca.

    Para calcular o tempo de entrega de uma encomenda deverá somar à disponibilidade mais elevada dos artigos que está a encomendar o tempo de entrega associado ao tipo de envio escolhido, salvo atrasos provocados por greves, tumultos e outros fatores fora do controle das empresas de transporte.


    Assista o vídeo: Japa Rico: buracos na parede de prédio durante a segunda guerra mundial em Paris (Julho 2022).


Comentários:

  1. Telford

    Sua opinião útil

  2. Kyrk

    Esta mensagem é incomparável))), é interessante para mim :)

  3. Tavion

    Eu posso acreditar em você :)

  4. Sunukkuhkau

    Você está errado. Eu me ofereço para discutir isso. Escreva-me em PM.



Escreve uma mensagem

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos