Vida

Use verbos e adjetivos para alegrar suas notícias

Use verbos e adjetivos para alegrar suas notícias



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Os estudantes de jornalismo que estão começando a redigir tendem a entupir sua prosa com muitos adjetivos e muitos verbos chatos e clichês, quando na verdade eles deveriam estar fazendo o oposto. A chave para uma boa escrita é usar adjetivos com moderação ao escolher verbos interessantes e incomuns que os leitores não esperam.

O detalhamento a seguir ilustra o uso efetivo de adjetivos.

Adjetivos

Há uma regra antiga no ramo da escrita - show, não conte. O problema com os adjetivos é que eles não mostrar nos qualquer coisa. Em outras palavras, eles raramente evocam imagens visuais na mente dos leitores e são apenas um substituto preguiçoso para escrever uma descrição boa e eficaz.

Veja os dois exemplos a seguir:

  • O homem era gordo.
  • A barriga do homem estava pendurada na fivela do cinto e havia suor na testa enquanto ele subia as escadas.

Veja a diferença? A primeira frase é vaga e sem vida. Realmente não cria uma imagem em sua mente.

A segunda frase, por outro lado, evoca imagens através de apenas algumas frases descritivas - a barriga pendurada no cinto, a testa suada. Observe que a palavra "gordura" não é usada. Não é necessário. Nós entendemos a foto.

Aqui estão mais dois exemplos.

  • A mulher triste chorou no funeral.
  • Os ombros da mulher tremiam e ela enxugou os olhos úmidos com um lenço enquanto estava sobre o caixão.

Mais uma vez, a diferença é clara. A primeira frase usa um adjetivo cansado - triste - e pouco faz para descrever o que está acontecendo. A segunda frase mostra uma cena de uma cena que podemos facilmente imaginar, usando detalhes específicos - os ombros trêmulos, o toque dos olhos molhados.

As histórias de notícias difíceis geralmente não têm espaço para longas passagens de descrição, mas apenas algumas palavras-chave podem transmitir aos leitores a sensação de um lugar ou uma pessoa. Mas as reportagens são perfeitas para passagens descritivas como essas.

O outro problema dos adjetivos é que eles podem transmitir inconscientemente o preconceito ou sentimentos de um repórter. Veja a seguinte frase:

  • Os manifestantes corajosos protestaram contra as políticas governamentais pesadas.

Veja como apenas dois adjetivos - corajosos e pesados ​​- transmitiram efetivamente como o repórter se sente sobre a história. Isso é bom para uma coluna de opinião, mas não para uma notícia objetiva. É fácil trair seus sentimentos sobre uma história se você cometer o erro de usar adjetivos dessa maneira.

Verbos

Os editores gostam do uso de verbos porque transmitem ação e dão à história uma sensação de movimento e momento. Mas, com muita frequência, os escritores usam verbos cansados ​​e usados ​​em excesso como estes:

  • Ele bateu na bola.
  • Ela comeu o doce.
  • Eles subiram a colina.

Bata, comi e andei - vaiando! Que tal agora:

  • Ele golpeou a bola.
  • Ela devorou ​​o doce.
  • Eles subiram a colina.

Veja a diferença? O uso de verbos incomuns e incomuns surpreenderá os leitores e acrescentará frescor às suas frases. E sempre que você dá a um leitor algo que ele não espera, ele deve ler sua história mais de perto e com maior probabilidade de finalizá-la.

Então saia do seu dicionário de sinônimos e procure alguns verbos novos e brilhantes que farão sua próxima história brilhar.

O ponto mais importante é que, como jornalistas, você está escrevendo para ser lido. Você pode cobrir o tópico mais importante conhecido pelo homem, mas se você escrever sobre ele em prosa maçante e sem vida, os leitores passarão a sua história. E nenhum jornalista que se preze quer que isso aconteça - nunca.


Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos